Os problemas de quando se nivela a qualidade por baixo.

Analisando diversas situações eu cheguei a uma conclusão sobre as escolhas que as pessoas fazem na hora de construir, e é sobre isto que vou falar no post de hoje.

Na semana passada eu já falei sobre os piores vilões das obras (leia aqui) e hoje eu quero fazer uma reflexão de quais as razões que levam as pessoas a escolherem materiais de baixa qualidade, mão de obra de baixa qualidade e até mesmo a construir sem projeto. Eu já falei quais são os maiores vilões das obras, mas hoje é a vez de falar de como eles aparecem.

Os maiores vilões das obras são como vampiros, eles só entram na obra se forem escolhidos e convidados, e na grande maioria vezes elas são convidadas a entrar e atrapalhar todo o andamento da obra. O principal problema é a incansável busca pelo mais barato sempre sem pensar nas consequências que esta escolha pode trazer, pois infelizmente hoje o nivelamento acontece por baixo.

lost-places-1647651_1920

A qualidade tanto dos serviços como dos produtos deixou de ser prioridade e então coisas de péssima qualidade são ofertadas a um preço aparentemente menor do que produtos que possuem qualidade, e digo aparentemente porque produtos de baixa qualidade não rendem bem ou estragam fácil e serviços mal feitos gastam mais material do que o necessário. Claro que existem exceções para a regra de que tudo mais barato é de baixa qualidade, porém é sempre bom desconfiar.

E como produtos e serviços de baixa qualidade se perpetuam no mercado? Muito simples, o mercado e a indústria sabem que a economia do nosso país não é lá aquela coisa e que brasileiro adora economizar e então eles nivelam por baixo, portanto oferecem serviços e produtos ruins a bons preços como uma maneira de atrair o consumidor. Isto é muito ruim, pois acaba nivelando por baixo e fazendo com que serviços e produtos bons de qualidade ok (não o top de linha, só o ok mesmo) parecerem exorbitantemente caros.

São muitos os interesses e as influencias por detrás disto. Na questão da mão de obra é muito comum, principalmente nos interiores de todo país, ver pessoas que não possuem perspectiva de vida, que acabaram a escola (ou não) e que por não saberem que caminho seguir, por não gostarem de estudar, por falta de oportunidade e por tantos outros motivos acabam indo trabalhar em obra, mas não buscam treinamentos para melhorarem seus serviços, e acaba sendo mais um ensinamento passado de pai para filho, que não seria problema algum caso o mundo não estivesse mudado. Mas também acontece que por diversas vezes que os cursos de aperfeiçoamento nem são oferecidos e são tantas as razões e os motivos que fazem com que exista mão de obra ruim sendo requisitada que é difícil encontrar apenas um responsável.

ruin-1563208_1920

O que mais me chateia mesmo é a questão dos produtos ruins, afinal quem acaba sendo mais refém são as pessoas mais desfavorecidas econômica e socialmente. Crises e instabilidades marcaram a história do Brasil tão profundamente que fez com que a população de maneira geral anseie por economizar, mas há aqueles que não possuem essa opção, ou eles consomem os produtos mais baratos ou não consomem e então eles não podem nem optar pela qualidade, são obrigados a prezar pelo menor preço acima de tudo em decorrência a realidade social e econômica do país.

Mesmo sendo o problema muito extenso e aparentemente demasiadamente complexo, a solução é simples: informação. Se houvesse maior informação de quanto realmente custa ter algo de qualidade e quando realmente custa a baixa qualidade ninguém optaria por pagar baratinho em produtos ruins e serviços mal feitos. Se os lojistas e os clientes se recusassem a ter e consumir estes produtos de baixa qualidade e exigissem maior qualidade a um preço acessível, como acontece em diversos lugares do mundo, a coisa seria bem diferente por aqui.

Ninguém merece e nem deveria ficar refém de produtos e serviços de má qualidade. Certa vez, conversando com uma amiga que é advogada ela me falou que o Brasil possui um dos melhores códigos de defesa ao consumidor do mundo, mas não há motivos para comemoração uma vez que o nosso Código de Defesa ao Consumidor não é um dos melhores do mundo atoa e sim porque os consumidores brasileiros precisam deste respaldo tamanha é a falta de qualidade e respeito, ou seja, o consumidor brasileiro precisa de uma proteção extra para não seja passado para trás.

woman-1517067_1920

É possível sim produtos melhores a preços acessíveis, nas universidades a pesquisa e a busca por novos materiais e novas técnicas que garantam qualidade e conforto com o preço mais baixo possível é constante, mas falta interesse da indústria para a produção em larga escala e também falta treinamento de equipes de obra. Com isso quem perde é sempre o cliente, que fica refém.

Além de tudo o que já falei tem outra questão que acaba pesando muito para que esses produtos de baixa qualidade se perpetuem no mercado: a RT. Eu já falei sobre a RT antes e expliquei que RT não é RRT (leia aqui), mas nunca é demais lembrar que em certos casos a comissão paga a arquitetos, engenheiros, designers e pedreiros para indicarem determinado produto ou marca acaba sendo um fator decisivo na compra de opinião, e então quem deveria se preocupar com a qualidade final da obra, quem deveria auxiliar o cliente a fazer as melhores escolhas acaba se vendendo por alguns trocados, prejudicando o cliente.

Fora a questão de serviços e materiais de baixa qualidade ainda há a crença difundida em nossa sociedade que contratar bons profissionais (arquitetos e engenheiros) é caro e que este gasto é dispensável, e então a função de projetar um espaço funcional e eficiente fica sob a responsabilidade de quem não estudou para isto e não possui domínio técnico para tal. É notável a diferença de uma casa pensada e planejada adequadamente para atender as suas necessidades de uma casa simplesmente construída conforme o humor do construtor.

dilapidated-983952_1920.jpg

O valor gasto com bons profissionais se justifica no momento em que você irá obter um resultado final muito melhor e que eles além de poderem te auxiliar na questão dos materiais, eles também zelam pela qualidade do serviço que a equipe de obras presta, de maneira com que sua obra seja mais eficiente possível. E também é sempre bom lembrar que assim como existe assistência jurídica fornecida pelo governo a quem não pode contratar um advogado, é obrigação do governo fornecer assistência técnica para quem quer construir mas não possui condições de contratar um profissional, eu já falei sobre arquitetura social (leia aqui) e neste post mostrei que arquitetura não é coisa de gente rica, arquitetura pode e deve ser para todos.

Eu poderia passar dias, meses e até anos aqui refletindo sobre o assunto, mas por hoje vou ficar por aqui. O importante é saber que é possível mudar, pesquise, se informe e, acima de tudo, desconfie de coisas baratas demais, ou caras demais ou de elogios demais. A internet é uma excelente ferramenta se utilizada corretamente, use-a para procurar informações.

Eu diria que as palavras fundamentais para quem pensa em construir e reformar são cautela e planejamento. Cautela com ofertas tentadoras demais, afinal nada no mundo é de graça e não existe almoço grátis. Planejamento de absolutamente tudo possível.

accountant-1238598_1920

Não permita que o seu sonho de ter um lar passa chamar de seu se torne um pesadelo. Permita-se sonhar e busque sempre a qualidade.

Se você me acompanha aqui no blog e têm o costume de ler meus posts com toda certeza já sabe como fugir dos vilões e ter uma boa obra que resultará em um excelente lar.

Se você tiver algo a acrescentar a esta reflexão deixe o seu comentário.
Gostou do post de hoje? Compartilhe com seus amigos!

Vai construir ou reformar? Valorize sua obra: contrate um arquiteto.

Os 3 maiores vilões das obras

Construir uma casa da maneira como você sonha e deseja é algo muito especial e único, porém é preciso tomar uma série de precauções para que a obra não vire um pesadelo total e o resultado seja desastroso.

Para que você que está pensando em construir ou até mesmo reformar não caia em armadilhas eu resolvi fazer o post de hoje e falar sobre os três maiores vilões das obras.

coins-948603_1920

Falta de planejamento

Me sinto uma chata insuportável por escrever mais uma vez sobre planejamento aqui no blog, mas planejamento á algo fundamental para que se tenha uma boa obra.

Planejamento nunca é demais, pensar no que deseja com a obra, a melhor época para se inicia-la, fazer uma projeção de qual será os eu tempo de duração, de quanto dinheiro será necessário investir nesta empreitada ou até mesmo quanto dinheiro é possível investir, entre tantos outros planejamentos e projeções que se pode fazer.

Eu diria que o primordial é pensar na questão financeira, afinal nada no mundo é de graça, portanto é necessário saber o quanto de dinheiro se pode destinar a obra para então saber o que pode ser feito. Leis, normas e legislações juntamente com o dinheiro são os principais limitadores de um projeto. Uma das coisas mais chatas ao se iniciar uma obra é ter que interrompê-la devido à falta de planejamento, seja orçamentária ou por outro motivo.

Se você mora de aluguel e pretende construir a casa própria para se livrar dele também é preciso pensar no tempo em que a obra pode durar, afinal não é bacana pagar multar por quebra de contrato por sair antes do esperado ou então ter que sair do imóvel alugado e a obra não ter acabado ainda. Imprevistos são muito comuns em obras, mas há sempre como se planejar para contorna-los ou até mesmo contar com eles no cronograma, como por exemplo pensar que algum fornecedor pode atrasar a entrega ou então procurar saber sobre como será o ano do ponto de vista climático.

Construir (ou fazer uma grande reforma) é uma espécie de megaoperação onde diversos profissionais de áreas distintas irão se unir para chegar a um mesmo resultado final, por isto é importante que tudo seja muito bem pensado e orquestrado desde o início.

floor-plan-1474454_1920

Falta de projetos

O projeto arquitetônico também é uma espécie de planejamento e é muito importante para um bom andamento de obra, mas ele não é o único projeto necessário para construção ou para a reforma de uma casa. Imagine começar uma obra sem projeto algum, ou faltando algum dos projetos e então no meio da obra é preciso tomar decisões que deveriam estar em projeto. É um caos desnecessário.

Dentro do projeto arquitetônico está muito mais do que apenas a indicação de onde vai parede, onde vai porta e onde vai janela. Na elaboração do projeto arquitetônico é levado em conta os gostos e preferencias dos futuros usuários da casa, seus costumes e hábitos, é pensada a questão do conforto, a relação com o entorno, a funcionalidade de cada ambiente entre tantas outras questões para que o resultado final da obra seja melhor do que o esperado.

Já os outros projetos acabam definindo outras questões. O projeto estrutural prevê a estrutura necessária e como ela deve ser executada, o projeto elétrico prevê a fiação necessária, por onde ela deve passar, onde e o que é cada ponto elétrico. O projeto hidráulico prevê o tamanho de cada tubulação, por onde cada uma deve passar e também outras questões como recolhimento do esgoto e de águas da chuva.

Todos os projetos acima citados são essenciais para que se elabore o projeto executivo, que é o projeto que diz como a obra deve ser executada e traz o detalhamento. A falta de algum projeto pode causar muita confusão durante a obra, ocasionando retrabalhos e desperdícios.

Ainda pior pode ser a falta do projeto para a aprovação na prefeitura. Para se iniciar uma obra é necessário a aprovação da prefeitura e de outros órgãos responsáveis, dependendo do porte da obra, e esta aprovação possui um custo, mas se engana quem pensa é uma economia construir irregularmente, pois durante uma fiscalização da prefeitura sua obra pode ser embargada e então você terá que arcar com uma série de multas e taxas para concluí-la.

ink-roller-722477_1920

O mais barato

Devo concordar que construir é algo realmente custoso, como disse anteriormente, é necessário um planejamento financeiro para saber o que pode ser feito e é importante levar em conta nesse planejamento uma série de questões, pois o barato pode sair muito mais caro.

Uma dessas questões é a mão de obra que irá executar a obra. A mão de obra da construção civil é algo que possui um preço elevado no final da somatória, mas é um gasto necessário e pagar barato na mão de obra não é sinônimo de economia. Uma boa equipe de obra possui treinamento, é eficaz e não fica perdendo tempo e também não desperdiça material, portanto no fim das contas representará economia tanto de dinheiro quanto de tempo, porém boas equipes costumam não ser as mais baratas, mas também não são necessariamente as mais caras. A pesquisa ainda é a melhor aliada para que se encontre uma boa equipe de obra com qualidade e bom preço.

Se você soubesse que a equipe de obra que cobra um preço bem baixo é enrolada por demais, desperdiça muito material e perde muito tempo fazendo vários nadas, você consideraria que esse valor pago a ela é alto ou baixo? Você pode contratar os melhores profissionais (arquiteto e engenheiros) e comprar os melhores materiais do mundo, mas se você não busca saber a qualidade dos serviços oferecidos pela mão de obra executora da obra o resultado pode ser desastroso. Já cheguei a testemunhar paredes tortas em todos os sentidos onde o pedreiro se garantiu e disse que tiraria a diferença na massa, ou seja, a parede iria ficar muito mais grossa do que o necessário, torta e a quantidade de massa (argamassa) usada seria muito maior, um desastre total, afinal no fim da obra a área dos ambientes ficaria menor também, só prejuízo.

Outra questão que deve ser observada é a qualidade dos materiais de construção. Assim como é com a mão de obra, não é incomum que se escolha os materiais de construção pelo preço esquecendo-se que o barato pode sair caro. Existem materiais que possuem um preço mais acessível e são de boa qualidade, mas são exceções. É muito como que os materiais mais baratos não rendam bem, como por exemplo uma tinta que ao invés de duas mãos precisa de quatro ou cinco mãos, ou então que não durem nada, como por exemplo uma tinta que fica linda e perfeita por um tempinho e depois começa a esfarelar ou então a desbotar.

Materiais de construção são os itens que mais pesam na conta final dos custos da obra, porém olhar apenas para o preço para tentar economizar pode te deixar com a sensação de que você não consegue parar de comprar material nas lojas por eles não terem um bom rendimento e você ter que constantemente ter que ir comprar mais, ou então você pode se arrepender com pouco tempo de obra concluída (geralmente materiais de baixa qualidade costumam apresentar problemas em menos de um ano).

É importante ressaltar que você não precisa comprar tudo do mais caro para ter qualidade, já que nem sempre preço alto é sinônimo de qualidade, mas que normalmente o mais barato vai acabar custando mais caro. Seja para mão de obra, para os materiais ou para qualquer outra questão da obra desconfie de preços muito baixos. Buscar informação e referências é a melhor solução para que o barato não saia uma fortuna.

office-594132_1920

Construir a casa dos seus sonhos pode não ser um processo fácil, demanda esforço, tempo e dinheiro, mas vale a pena. É preciso se precaver para não cair em ciladas. Planejamento e estudo é essencial tanto para o começo como para toda a obra, ter o acompanhamento de profissionais e ter todos os projetos é algo que vai lhe proporcionar mais tranquilidade e qualidade na obra e ter uma boa equipe de obra e escolher bons materiais vai lhe assegurar que você tenha o melhor resultado possível e que a sua casa dos sonhos se torne realidade.

O processo todo de construção por si só é exaustivo, mas sua obra não precisa ser um pesadelo. Fuja dos vilões.

Se você vai reformar ou construir, valorize sua obra: contrate um arquiteto!

Gostou do post de hoje? Achou útil? Dê um curtir e compartilhe com seus amigos.

Para contato, dúvidas e sugestões deixe seu comentário.

Comprar X Construir : prós, contras e ciladas

O sonho de ter a casa própria ainda é o que muitos brasileiros desejam, e maior que este sonho só mesmo a dúvida de o que fazer para alcançá-lo. Por isto, resolvi fazer um post para ajudar quem está sem saber se compra uma casa pronta, compra na planta ou então compra um terreno e constrói.

Cada uma faz opções possui vantagens e desvantagens dependendo do que você está buscando e do seu orçamento, assim como possíveis ciladas. É importante analisar as possibilidades e pesquisar bem.

floor-plan-1474454_1920

Comprar na planta

É cada vez mais comum que as construtoras façam condomínios de casas prontas ou pequenas vilas, tornando possível você comprar uma casa na planta, mas vale lembrar que comprar na planta é muito mais comum em caso de apartamentos. Hoje não vou discutir sobre casa versus apartamento, mas sim sobre comprar um imóvel na planta.

Ao se optar por comprar qualquer imóvel na planta você pode optar por investir em um empreendimento que ainda nem começou ou até mesmo um que já esteja em fase de obras, e isto pode ser bom ou ruim. É preciso pesquisar se a construtora é confiável, analisar as condições de pagamento e se o que está sento oferecido vai suprir as suas necessidades.

Prós

Uma das vantagens em se comprar um imóvel na planta é que não é preciso se preocupar com aprovação de projetos, contratação de equipe de obra nem com a compra de materiais de construção, uma vez que tudo isso fica sob a responsabilidade da construtora. É possível visitar a obra e acompanhar o andamento da obra e caso surja alguma dúvida, é comum haver pessoas com as quais você pode falar e sanar suas dúvidas. Outra grande vantagem é que as construtoras são empresas e no caso de qualquer problema é possível acioná-las legalmente caso nenhuma outra maneira tenha solucionado o problema.

Normalmente, comprar imóveis na planta costuma ser uma opção mais barata do que adquirir uma casa pronta.

Contras

A questão do financiamento pode ser um grande problema, pois dependendo do empreendimento você só conseguirá financiar depois de que o “Habite-se” seja dado pela prefeitura, que é a autorização dada pela prefeitura para que se ocupe o imóvel, contudo para que se possa ocupar um imóvel é preciso que ele esteja habitável, ou seja, concluído. Pensando nisto, algumas construtoras parcelam parte do imóvel de forma particular até a entrega do empreendimento e quando concedido o “Habite-se” é possível financiar o restante do montante devedor. Porém é necessário arcar parte do imóvel sem qualquer tipo de financiamento, além de que o montante devedor acaba aumentando com o passar do tempo e a inclusão dos índices e juros definidos pela construtora, o que pode ser um grande problema.

No Brasil não é comum a personalização ou a customização de projetos no caso de compra na planta, e quando acontecem acabam sendo restritos ou então causando diversos transtornos tanto para comprador como para construtora justamente por não serem comuns. Apesar da crescente demanda pela personalização, normalmente as construtoras oferecem apenas uma planta tipo e caso o cliente queira alterar algo é necessário contratar um outro profissional, e então as informações acabam ficando confusas para os operários da obra. É preciso ter cautela quando se opta por personalizar e customizar um projeto de uma construtora, além de estar sempre atento durantes as visitas a obra.

Ciladas

A edição 1119 do dia 11 de agosto de 2016 da Revista Exame trouxe em sua capa um grande alerta em relação a construtoras que não entregam os imóveis aos compradores por diversas razões, seja por quebra da empresa, falta de capital para continuar com o andamento do empreendimento ou até mesmo construtoras que aplicaram golpes vendendo uma mesma unidade para mais de um cliente, mas não há motivo para pânico se você for uma pessoa prevenida. É preciso primeiro conferir o memorial de incorporação e o registro em cartório do empreendimento.

Cheque se a construtora não está devendo impostos e procure saber mais sobre ela conversando com outros clientes e visitando outras obras. Ao assumir a compra de um imóvel na planta, registre em cartório um termo chamado “compromisso de compra e venda” que é vinculado a matrícula do imóvel e que mostra que aquela unidade já possui um dono, evitando assim que ela seja vendida para outra pessoa.

Em caso de dúvidas, procure sempre um advogado de sua confiança para te auxiliar.

building-1080589_1920.jpg

Comprar um imóvel pronto

A compra de imóveis prontos, sejam eles novos ou usados, é muito comum. Você pode optar por procurar um corretor de imóveis de sua confiança para te auxiliar e acompanhar nesta busca, ou até mesmo buscar de forma particular imóveis que não estejam sendo anunciados em imobiliárias. São várias as questões a serem observadas, tais como a vizinhança, o tamanho do imóvel, se existem patologias na construção.

Prós

Quando se opta por comprar um imóvel pronto é possível observar cada ambiente como ele é, tirar medidas, observar a iluminação e ventilação interna assim como observar se existem defeitos e patologias, podendo analisar o imóvel como ele é, não sendo necessário ficar imaginando. Caso você já tenha móveis é possível verificar se poderá reaproveita-los na decoração ou se será necessária a troca dos móveis.

Poder observar o imóvel já pronto e construído é muito bom, afinal a grande maioria das pessoas que não são profissionais da construção civil têm dificuldade em interpretar desenhos técnicos, e a visualização e a compreensão da espacialidade do imóvel ficam ainda mais fáceis em casos em que o imóvel esteja mobiliado, mesmo que este mobiliário não seja o que será utilizado futuramente.

Um imóvel pronto é uma boa opção para quem deseja mudar rapidamente, pois resolvidos os problemas legais de compra e venda do imóvel e as questões financeiras já é possível organizar a mudança e ter um novo endereço.

Contras

No caso de imóveis prontos não é possível escolher o piso de sua preferência, ou então qualquer outro detalhe. Caso algo te desagrade ou você pense em realizar alguma melhoria será necessário contratar um profissional para poder realizar uma obra e poder alterar o que desejar, o que já vai representar um custo maior do que apenas o preço do imóvel.

Vale lembrar que comprar imóveis prontos é a opção mais cara entre todas, pois além do valor do terreno e da obra, há sempre um valor agregado em uma construção concluída, que engloba o lucro do vendedor do imóvel e a comissão do corretor.

Ciladas

No caso de imóveis já prontos não é possível acompanhar a construção/reforma e verificar a qualidade do material de construção de obra utilizado ou do serviço prestado pela mão-de-obra, e as vezes uma obra recém acabada pode esconder uma série de problemas, pois a pintura e os acabamentos podem servir como maquiagem, disfarçando patologias sérias. Se você puder visitar o imóvel em dias distintos e situações diferentes é o ideal, mas eu diria que o ideal é visitar o imóvel durante uma chuva de moderada a forte ou logo após, pois será possível analisar se tudo continua em perfeito estado, se não há goteiras e se a construção não permanece úmida por muito tempo.

Outra questão que pode estar maquiada são rachaduras recém cobertas com massa corrida e que logo voltarão a aparecer, caso o imóvel tenha problemas estruturais, assim como tubulações e encanamentos que não são aparentes podem estar em um estado ruim.

Para evitar ciladas como as mencionadas acima o ideal é ter um profissional de confiança que possa te ajudar a levantar os pontos positivos e negativos do imóvel e que saiba identificar quando tentam maquiar algum problema.

construction-1510561_1920

Construir

Caso você queira realizar o sonho de ter a sua casa própria da maneira como sempre sonhou, eu diria que a melhor opção é construir, já que você pode construir da maneira que mais lhe agrada e de forma que sua casa atenderá melhor suas necessidades e alcançará suas expectativas. Porém, vale lembrar que construir não é um processo simples e pode causar dores de cabeça.

Os dois primeiros passos para quem deseja construir são planejamento e a busca pelo terreno. Eu fiz uma série de posts direcionados para quem está pensando em construir a casa própria e você pode conferir o primeiro post aqui.

Prós

Das três opções a minha favorita é definitivamente a opção de construir conforme deu desejo e a sua necessidade, e não é porque eu sou arquiteta não, é porque somente construindo é possível alcançar um alto grau de personalização e customização que irão lhe permitir ter a casa dos sonhos do jeitinho que você sonhou. Construir a sua própria casa lhe permite ter um projeto adequado a sua realidade e rotina.

A opção de construir é a mais barata entre todas, pois nos custos de uma construção estão: o preço do terreno, valores dos profissionais envolvidos, taxas de aprovação, custos de mão-de obra e preço de materiais de construção. Não há lucro ou comissão para ninguém. E ao meu ver, apesar de ser a opção mais barata, no fim é a mais valiosa, pois o projeto foi feito especialmente sob medida para você, de modo a atender perfeitamente suas necessidades.

Construindo sua própria casa, você poderá acompanhar a elaboração do projeto, a escolha de materiais, da equipe de mão-de-obra e se inteirar e participar de cada detalhe, conhecendo assim sua casa por dentro e por fora.

Contra

Apesar de ser uma excelente opção, construir é a opção mais demorada. Você primeiro precisa escolher um terreno para comprar, para então procurar um arquiteto para dar início ao projeto e só depois dar entrada com o processo de aprovação de projeto na prefeitura, processo este que pode demorar a ser aprovado. Somente com o projeto já aprovado em prefeitura é que se pode dar início a obra, que dependendo do tamanho pode levar um ano ou mais para ser concluída.

Ciladas

Construir sem projeto pode ser uma enorme cilada, além de não conseguir saber qual será o custo da obra e não ter a segurança de ter um profissional habilitado e capacitado presente na obra para conferir as leis e normas que devem ser atendidas, você pode ter que arcar com multas por estar construindo de maneira irregular, na melhor das hipóteses. Construções irregulares podem oferecer diversos riscos a vizinhança, pois não há certeza naquilo que se está sendo construindo, e também pode oferecer riscos aos trabalhadores que nela estão, afinal em uma obra irregular não se espera encontrar uma equipe devidamente equipada e protegida, fator que facilita a ocorrência de acidentes.

Em entrevista para a Gazeta do Povo (leia a matéria completa aqui) o construtor Sergio Crema aconselha a escalonar as etapas da construção e os gastos necessários em cada fase, sendo necessário a elaboração dos projetos arquitetônicos, elétrico e hidráulico com antecedência para que se possa fazer uma estimativa real do orçamento final da obra, e acrescenta “Muitos clientes querem começar a casa antes de pensar no projeto. O resultado disso é que, no desenrolar da construção, é necessário fazer muitos ajustes. Isso gera, além de mais trabalho, maior custo”.

Para não cair na cilada da obra sem projeto só há uma solução: contratar profissionais capacitados e habilitados para a elaboração dos projetos.

Outra cilada e que você pode cair são os trabalhadores não capacitados. Equipes de obra bem treinadas podem aparentar serem mais caras, contudo é preciso levar em consideração a eficiência e a qualidade da mão-de-obra oferecida. Contratar a equipe mais barata pode sair muito caro caso eles não respeitem o projeto e trabalhem, como diz o ditado popular, “nas coxas” e sem ter o cuidado e a atenção que sua obra merecem. Eu já falei em um post anterior na importância de uma boa equipe de obra para a qualidade final da construção, confira clicando aqui.

A solução para este problema é pesquisar as referências e conversar com pessoas que já contrataram a equipe que você deseja contratar para verificar a qualidade do serviço.

office-594132_1920

Qualquer que seja a opção escolhida por você é importante sempre sentar e estudar cada uma das possibilidades, se planejar e sempre pesquisar.

Caso você esteja pensando em construir ou reformar, procure um profissional habilitado e qualificado, para que você não caia em ciladas.

Se gostou deste post, compartilhe-o com seus amigos e deixe o seu curtir.

E não se esqueça: se for construir ou reformar, valorize sua obra, contrate um arquiteto!

A importância da iluminação e ventilação naturais para a salubridade da sua casa

Você já parou para pensar na importância da iluminação e ventilação naturais têm? Independentemente da sua resposta hoje eu te convido a conhecer mais sobre o tema e refletir. Vou falar hoje um pouco sobre a morte da atriz Brittany Murphy que participou e estrelou diversos filmes como “As Patricinhas de Bervely Hills”, “Grande Menina, Pequena Mulher”, “Recém-Casados”, entre tantos outros.

Em 2009 a notícia da morte da atriz Brittany Murphy me chocou. Houveram especulações sobre a real causa da morte, muitos acreditavam que o verdadeiro motivo era overdose, uma vez que a atriz havia desenvolvido dependência de certas medicações, porém a causa primária foi pneumonia agravada por anemia. Cinco meses depois Simon Monjack, viúvo da atriz, foi encontrado morto na residência do casal e a causa da morte foi exatamente a mesma de sua falecida esposa: pneumonia agravada por anemia. Desde então os pais da atriz pensam de maneira diferente. O pai acredita que o casal tenha sido envenenado, já a mãe acredita que fungos tenham sido os responsáveis pelas mortes. E o que esta “fofoca” tem a ver com o assunto de hoje? TUDO!

79526406.jpg

Fungos oferecem diversos riscos à saúde humana e podem sim causar a morte dependendo do seu tipo. A mãe de Brittany, Sharon Kathleen Murphy, afirma ter encontrado bolor na residência da filha, que é um sinal de proliferação de fungos. Existem sim fungos do bem, os quais consumimos em nossa alimentação, contudo existem aqueles que são venenosos e podem causar diversas doença. Mas nem tudo está perdido, é possível prevenir o surgimento de fungos na sua casa com a iluminação e ventilação naturais de forma simples.

Iluminação natural

 O sol é uma importante fonte de energia natural, além de ser fonte de calor é também fonte de luz. Mesmo em países mais quentes como é o caso do Brasil, o sol exerce um importante papel na iluminação natural funcionando como um bactericida e fungicida natural.

window-frame-1149117_1920

É necessário que se tenha atenção e cuidado ao se projetar uma abertura para permitir a entrada da iluminação natural, pois não é desejado que a luz e o calor estejam em excesso, causando ofuscamento e elevando demasiadamente a temperatura. Existem inclusive softwares que auxiliam no processo de elaboração de projeto simulando a trajetória solar, de modo que o arquiteto pode analisar quando e como o sol é desejado em casa projeto.

Além dos benefícios já citados, a iluminação natural é muito importante para o nosso bem-estar, saúde e produtividade, uma vez que influencia de maneira positiva o nosso ciclo biológico, ativando nossas funções biológicas e também é fundamental para a economia de energia, já que quanto mais se aproveita da iluminação natural menos se depende da iluminação artificial.

window-1506353_1280.jpg

Ventilação natural

Outro fator importante para a salubridade das edificações é a ventilação natural. Quando se permite a circulação e a troca de ar se impede que o ar fique viciado e que qualquer gás tóxico se acumule rapidamente.

A ventilação natural também exerce o papel fundamental na diminuição do consumo de energia através do resfriamento dos ambientes, diminuindo a necessidade do uso de aparelhos como ventilador e ar-condicionado.

Assim como no caso da iluminação natural, é preciso ter cautela ao se projetar as aberturas, para que não se tenha ventilação de mais ou de menos e que o ambiente fique confortável.

window-1479595_1920.jpg

A junção da iluminação com a ventilação naturais são poderosos aliados para a qualidade e saúde da edificação, contudo vale ressaltar que vidros fixos não permitem que o ar circule e nem que o sol cumpra sua função antisséptica, portanto são necessárias aberturas, e sim, no plural para que o ar possa percorrer um caminho, entrar por um lado e sair por outo. Existem diversos tipos de aberturas, e o tipo ideal é definido durante o projeto, analisando o entorno, o microclima regional e também se levando em conta o partido arquitetônico.

É comum observar em casas construídas sem o auxílio de um profissional ou de reformas feitas sem planejamento a presença de bolor na edificação, e isto acontece em decorrência da impermeabilização da edificação ter sido malfeita, ou então nem existir, e também pelo falo de que as aberturas existentes são insuficientes para permitir que toda a casa seja beneficiada pela iluminação e ventilação natural. Em casos onde não se consegue iluminar e ventilar naturalmente é preciso adotar formas mecânicas, que acabam tendo um custo mais elevado.

Agora é aquele momento em que eu retomo a história da Brittany. Para mim foi extremamente chocante saber da morte dela e ouvir todas as especulações sobre, e como se não bastasse logo em seguida veio a morte de seu marido. Como profissional é muito triste saber que medidas simples como permitir a iluminação e a ventilação naturais talvez tivessem salvo essas duas vidas que se foram de maneira muito precoce. Para que um fungo se prolifere é preciso que haja umidade e matéria orgânica, contudo a simples incidência dos raios solares já impede essa proliferação e a circulação de ar acaba de certa forma “secando” o ambiente, e é justamente neste ponto em que eu insisto e reforço o quão importante são a iluminação e ventilação naturais.

Talvez Brittany e seu marido Simon tenham sido envenenados, ou talvez o bolor encontrado na casa deles tenha sido o verdadeiro responsável, mas a realidade é que o fato de existirem fungos se proliferando na residência do casal é muito preocupante, afinal uma atriz de Hollywood morando em uma casa com mofo não é algo que passe pelas nossas cabeças. Imaginamos que estes astros de cinema vivam em grandes mansões bonitas e não em casa emboloradas. Para mim foi algo muito marcante e é algo que costumo observar e ficar atenta.

window-1533513_1920.jpg

A busca pelo equilíbrio entre a quantidade de iluminação desejada e de calor que não se deseja é fundamental para que se economize energia não apenas para que a conta de luz fique mais barata, mas também pela utilização mais consciente dos recursos naturais que temos. Outra questão importante de ser ressaltada é que não é mais caro buscar por soluções inteligentes que permitam você poder utilizar de iluminação e ventilação natural na sua casa de forma inteligente, a não ser que você opte por soluções inovadores e revolucionárias, já que o correto posicionamento de aberturas já é o suficiente.

Não é preciso gastar imensas fortunas para que você e sua família possam viver tranquilamente sem a preocupação com a salubridade da sua casa, na realidade tudo o que você precisa é de um bom projeto arquitetônico. Um bom projeto arquitetônico irá atender suas necessidades e preferencias além de primar pela eficiência em todos os sentidos e pensar na qualidade de vida dos futuros ocupantes.

Caso você esteja pensando em construir ou reformar, procure um profissional habilitado e qualificado, para que você não tenha uma casa embolorada e possa inclusive economizar energia através do uso de recursos naturais.

chair-690341_1280.jpg

Se gostou deste post, compartilhe-o com seus amigos.

Se, assim como eu, você se preocupa com a salubridade da sua casa, curta este post.

E não se esqueça jamais: se for construir ou reformar, valorize sua saúde, contrate um arquiteto!

Os superpoderes dos arquitetos

Depois de diversas conversas com clientes e amigos percebi que arquitetos possuem habilidades que não são normais para a grande maioria das pessoas, são os superpoderes dos arquitetos.

Na realidade não nascemos assim, somos treinados durante os cinco anos da faculdade de maneira que vamos aprimorando essas habilidades com o passar do tempo. Claro que existem pessoas que não são da área e que também possuem tais habilidades, não é algo exclusivo e secreto, obviamente qualquer um pode ter esses “superpoderes” também, mas é algo mais raro que alguém que não seja um profissional da área compartilhe das tais habilidades.

Apesar do tom mais humorístico, no post de hoje vou falar de um assunto sério, não muito sério, mas sério. Sem mais delongas, vamos ao que interessa.

new-piktochart_block_1(1).jpeg

Visão de futuro

Se você fala para um arquiteto as palavras “projeto” “obra” “reforma” “construir” pode ter certeza de que dentro da cabeça dele já estão se passando mil possibilidades, é o “superpoder” da visão de futuro ativada.

A visão de futuro consiste na habilidade de conseguir visualizar coisas que ainda não existem, como por exemplo olhar para um terreno vazio e já imaginar a casa pronta, ou então olhar para uma casa e já conseguir ver como ficará depois da reforma. Basicamente, nós arquitetos conseguimos visualizar de maneira tridimensional algo que ainda não começou a ser construído ou não está concluído. Ela é uma habilidade importante para a questão a criatividade, pois é ela a responsável pela busca de soluções projetuais em nossas cabeças que posteriormente vão para papel em forma de projeto.

Normalmente as pessoas que não são da área não conseguem imaginar como ficaria algo e tem dificuldade até mesmo de compreender os desenhos técnicos, porém não é preciso se desesperar ou se sentir inferior. Muitos arquitetos também não possuíam esse olhar treinado para conseguir ter a “visão de futuro” no início do curso, é algo que se adquire. O importante é buscar uma maneira de tornar legível para o cliente o projeto.

Outra ocasião em que notei que a falta da habilidade de conseguir visualizar algo acaba gerando confusão é durante a construção: arquitetos entram em obra e acham maravilhoso ver tijolos assentados, a estrutura em concreto entre outras coisas típicas de uma obra em andamento, porém o sentimento da grande maioria dos clientes é diferente. Geralmente quem não é da área acaba criando uma ideia não muito clara de como vai ser, o que pode causar sérios problemas caso o que esteja sendo feito não seja o que o cliente deseja, e ter tijolos e concreto acaba gerando ansiedade e confusão.

Primeiro de tudo: se você está pensando em construir, procure um arquiteto e não tenha vergonha de falar caso você não esteja conseguindo entender muito bem o projeto. Diversos recursos podem ser usados para solucionar este problema, o mais importante é que você compreenda verdadeiramente e completamente o que será feito para evitar fadigas e frustações futuras. Ninguém tem obrigação de conseguir visualizar algo que não foi iniciado ou que não está finalizado, mas é preciso que o cliente esteja ciente e tenha compreendido como ficará seu projeto depois de finalizada a obra.

O arquiteto, por ser um profissional treinado e capacitado, acaba tendo a visão de futuro, domínio na hora de projetar e noção completa de como ficará o resultado final, mas é preciso que o cliente esteja de acordo, afinal de contas no final das obras a casa será dele.

Além de arquitetos, engenheiros e designers também possuem esta habilidade aguçada, este “superpoder”.

new-piktochart_block_3

Noção espacial

Outro “superpoder” muito bacana que nós arquitetos acabamos desenvolvendo é a noção espacial. Certa vez estava brincando com amigos meus que não são da área em adivinhar distância e tamanhos, primeiro cada um dava seu palpite e depois eu confirmava a medida com a trena. Bom, eu ganhei a brincadeira.

Ter a habilidade de noção espacial é muito importante e fundamental até mesmo para desenvolver a visão de futuro, pois é ela a responsável por conseguirmos ter noção da dimensão dos espaços e da espacialidade dos ambientes, sabendo o espaço que vai ocupar determinada construção ou então tendo noção do que sabe ou não em um ambiente, por exemplo.

Eu já falei aqui no blog sobre como usar seu corpo para tentar chegar a uma medida aproximada. Na ocasião falei em relacionar a sua altura com o tamanho em que você gostaria de saber, pensando em quantos “você” é preciso para atingir a medida desconhecida, mas existem outras maneiras de chegar a uma medida pelo menos próxima, como medir por passadas.

Ter noção espacial é importante para saber o tamanho de terrenos e o espaço dos ambientes, mas, assim como a habilidade de visão de futuro, não é preciso que você tenha esta noção espacial caso não seja da área e é uma habilidade que você aprimora com o passar do tempo.

A falta da habilidade de compreender as dimensões do espaço acaba também podendo gerar certa confusão, e como uma maneira de driblar esta dificuldade em entender a dimensão das coisas podemos usar nosso próprio corpo como uma forma de dar escala no caso de ambientes já construídos, ou então plantas humanizadas com mobiliário e maquetes virtuais com móveis e figuras humanas inseridas no caso de projeto.

A habilidade de noção espacial acaba influenciando de certa forma a habilidade de visão de futuro, afinal se você não consegue compreender a espacialidade e as dimensões não há como conseguir imaginar o que cabe e o que pode ser feito.

Assim como na visão de futuro, engenheiros e designers também possuem esta habilidade aguçada, este “superpoder”, bem como arquitetos.

new-piktochart_block_4

Espero que você tenha gostado do post de hoje. Caso tenha gostado deixe seu curtir.

Para sugestões e em caso de dúvidas, deixe seu comentário.

Vai construir e reformar? Lembre-se do profissional que possui superpoderes e pode te auxiliar: valorize sua obra, contrate um arquiteto.

Os diferentes tipos de reforma

Eu já falei muito que reforma não é tudo igual, mas eu ainda não havia falado sobre quais tipos de reforma existentes. Para fechar a minha participação nesta série especial sobre reforma com a também arquiteta Natasha Arraes, vou falar sobre tipos de reforma.

Reforma é um termo bem amplo e pode significar desde pequenas mudanças até uma remodelação completa. O tipo de reforma o qual você irá fazer depende do orçamento a ser investido e do que se deseja alcançar com a obra.

tool-384740_1920.jpg

Repaginada

De todas é a mais rápida e simples, não envolve nenhum tipo de quebra-quebra e não requer nenhum tipo de aprovação em órgãos públicos (prefeitura). A repaginada é aquele caso quando você quer dar cara nova a algum cômodo, a casa toda ou até mesmo quando se quer mudar o uso de algum ambiente, mas sem que aconteça uma obra, portanto transformar quarto em banheiro não vale.

Renovar um ambiente ou a casa pode ser feita de várias formas, mudando a pintura, colocando novos acessórios, mudando a roupagem da casa (tapetes, cortinas, talha de mesa e afins), mudando os móveis ou então adicionando algum detalhe em gesso, é algo puramente estético e superficial, enquanto mudar o uso de algum ambiente é uma questão funcional.

Quando se deseja alterar a função de algum cômodo o processo pode ser simples como utilizar os móveis que já estão no ambiente alterando sua posição e função, ou mais complexo alterando todo o mobiliário.

 A ideia é ser algo que não demande obra e que seja algo que fique pronto o mais rápido possível, porém não há como dizer que a repaginada é o tipo de reforma mais barata, pois dependendo dos móveis e dos acabamentos escolhidos a repaginada pode alcançar valores bem altos.

sampler-1508279_1920.jpg

Reforma pequena

Pequenas reformas são aquelas em que a área construída não sofre alteração mas há necessidade de pequenas obras. A troca de função de um ambiente como mencionei acima a um quarto que se torna banheiro, troca de piso, troca dos gessos (forro e detalhes), troca de pedras de pias e balcões, troca de peças de louça, troca de esquadrias entre outras trocas assim como uma remodelação com a quebra de paredes para criação de novas aberturas ou até mesmo para ampliação e junção de ambientes são o eu chamo aqui de pequenas reformas, causam algum transtorno, é preciso a contratação de uma equipe de obra e geram resíduos.

Dentro das pequenas reformas também entram as obras com finalidade de manutenção tanto reparativa quanto preventiva. Se você acompanha o blog desde o início certamente já leu meu post sobre manutenção predial e sabe como é importante de tempos em tempos executar uma manutenção até mesmo para manter a casa em ordem, mas se você é novo por aqui e ainda não leu, eu indico a leitura para que você possa entender como é importante realizar a manutenção predial de tempos em tempos.

Apesar de serem reformas pequenas é necessário a contratação de um profissional para te auxiliar neste processo, afinal desde 2014 passou a ser exigência a elaboração de um laudo técnico por um profissional para que seja feitam até mesmo as pequenas reformas. No caso de apartamentos, é importante também atenção as normas do condomínio e avisar ao síndico sobre a intenção de reforma. Ainda falando sobre a necessidade de contratação de um profissional habilitado para executar essas pequenas reformas, destaco aqui que na minha cidade (Presidente Prudente – SP) é necessário a obtenção de alvará da prefeitura até mesmo para troca de piso.

Assim como no caso da repaginada, uma reforma pequena é entre as reformas a que supostamente deve ser mais rápida e barata, porém a eficiência da mão de obra contratada e os materiais empregados são muito importantes. Como já havia dito anteriormente a escolha dos materiais influencia diretamente no preço, já em relação ao tempo de execução são necessários bons funcionários para que o desperdício e a perda de material sejam pequena e para que a obra seja realizada no tempo necessário e não ultrapasse o prazo.

the-interior-of-the-1508271_1920.jpg

Reforma com demolição

A reforma com demolição acontece quando você deseja diminuir a metragem de área construída e então é necessário a demolição de parte da edificação. Talvez seja mais claro para mim, que sou profissional da área, mas este é um tipo bem complexo de reforma, ao meu ver ele só perde na questão de complexidade para a remodelação.

Se no caso de troca de pisos já é necessária a presença de um profissional e do laudo técnico de reforma, a reforma com demolição se mostra bem mais delicada e demanda muito mais cuidado, pois a parte a ser demolida não deve de maneira alguma prejudicar o restante da edificação que permanecerá.

Na questão de valores, quando falamos em reforma com demolição estamos de valores mais elevados em decorrência da cautela que é indispensável. É necessário a contratação de uma equipe de obra especializada, obter as licenças necessárias além dos profissionais de arquitetura e engenharia.

shadow-743333_1920.jpg

Reforma com ampliação

Se você deseja ampliar a sua casa e aumentar a área construída dela, a sua reforma é com ampliação. Aqui podemos falar de três tipos diferentes de ampliação. O primeiro tipo é aquele em que você vai aumentar a metragem quadrada de área construída, porém ela não tem nenhuma ligação com o que já existe, pode ser por exemplo a construção de uma área de lazer ou uma edícula. Já o segundo tipo é quando a ampliação será um anexo adjacente a construção já existente, mas não terá relação e não se utilizará da estrutura dela, como é o caso da criação de uma varanda sombreada. E finalmente o terceiro tipo é quando a expansão for na própria edificação e a estrutura preexistente terá relação direta com a nova.

Os dois primeiros tipos de reforma com ampliação são mais tranquilos, pois não haverá relação com a estrutura já existente com a que se pretende construir, mas de qualquer forma serão obras e precisam de acompanhamento profissional e também de aprovação mediante os órgãos reguladores.

Já no terceiro tipo é preciso mais cautela, pois pode ser que a estrutura existente não suporte a ampliação que se deseja fazer. É necessária uma avaliação do que já está construído e a elaboração de um laudo técnico, isto antes mesmo de se iniciar o projeto que deverá ser feito por um profissional e também aprovado nos órgãos reguladores. Assim como no caso da demolição, a construção de novas áreas pode acabar danificando a edificação se não for bem estudada e feito da maneira correta. Pode acontecer de você descobrir que a estrutura que foi construída previamente não suportará a ampliação desejada e isto inviabilize a sua reforma.

A reforma com ampliação demanda um tempo maior de obra assim como um orçamento maior. E como já disse anteriormente, a escolha da mão de obra e dos materiais influenciam diretamente tanto nos custos quando no tempo de duração da reforma.

construction-1510561_1920

Remodelação

O tipo de reforma mais complexo de todos é com toda certeza a remodelação. Quando falo em remodelar eu falo em novas fachadas, alteração de aberturas e esquadrias, e quando falo em remodelação completa é também alterar os ambientes internos, alterando prumadas e tudo mais que se tem direito.

A remodelação, completa ou não, parte do princípio de aproveitar a estrutura existente para criar uma nova forma volumétrica. Por isso, para remodelar sua casa é preciso um estudo minucioso e profissionais que acompanhem desde o projeto até a execução da obra, para evitar erros durante a obra e danos a edificação. Novamente laudo técnico e aprovação são necessários. Vale ressaltar também que a remodelação pede por uma equipe de obra extremamente competente.

Por ser a mais complexa, a remodelação, seja completa ou não, é a mais cara e a mais demorada. Talvez você esteja pensando que ninguém é tão louco a ponto de remodelar uma casa, pois é muito mais fácil e dá muito menos trabalho construir uma nova do zero, ou talvez você esteja pensando que a remodelação é tudo o que você queria para sua casa, para dar a ela uma nova cara por dentro e por fora e ainda por cima adequá-la ao seu atual estilo de vida.

floor-plan-1474454_1920

O tipo de reforma a ser escolhido vai variar de acordo com o seu orçamento, a sua necessidade e o seu desejo. Como mostrei, há diversos tipos de reforma, desde as mais rápidas e baratas até mesmo a mais demoradas e caras, isso se tratando de material e mão de obra. Lembrando que você pode sempre contar com a ajuda de um profissional habilitado para te auxiliar nesta tomada de decisão.

Se o assunto é valor de projeto de reforma, o preço costuma ser diretamente proporcional ao nível de complexidade, ou seja, um projeto de reforma mais simples terá um preço menor e um projeto de reforma mais complexa terá um preço maior. Mas uma coisa é certa: é extremamente comum projetos de reforma terem um custo mais elevado do que de um projeto arquitetônico para uma construção nova. Isso ocorre porque um projeto para uma construção nova é mais fácil de ser elaborado trabalho do que de um projeto para uma reforma.

A simples existência de uma construção já consolidada acaba aumentando o nível de dificuldade no projeto de reforma e em alguns casos até mesmo inviabilizando-o. É importante sempre ter cautela para não danificar a edificação existente e estudar bem as possibilidades.

ink-roller-722477_1920.jpg

Espero que você tenha gostado deste especial sobre reforma e que tenha servido para sanar suas dúvidas.

Se você gostou deste post deixe seu curtir e compartilhe-o com seus amigos.

No caso de dúvidas ou sugestões, deixe um comentário.

Se for reformar, valorize sua obra: contrate um arquiteto!

Quanto pode custar uma reforma

Dando continuidade ao tema reforma, hoje a pauta é sobre quanto uma reforma pode custar.

A grande esmagadora maioria das pessoas quando pensa em reformar a primeira coisa que quer saber é quanto vai custar, uma preocupação muito válida eu diria, porém, não há uma fórmula matemática exata que dê o valor final de uma obra de reforma, pois este valor depende de uma série de fatores. Eu diria que mais importante do que saber o quanto vai custar é saber quanto você pode investir (sim, reforma é um investimento e não um gasto, ok?), o quanto está disposto a investir e o que você tem em mente.

coins-948603_1920.jpg

Profissionais

Saber o que se quer fazer já é algo muito importante para definir, contudo, como apontado no post da Natasha, é imprescindível, indispensável, fundamental a participação de um profissional, para saber se realmente a reforma é viável e se ela não comprometerá a qualidade de vida dos habitantes da casa. Além de assegurar um ambiente funcional, um profissional te auxiliará a elaborar o projeto de reforma, que por sua vez irá permitir que se faça um planejamento de obra.

Diferentemente do que se pensa, contratar um profissional lhe garantirá ter uma reforma mais econômica e eficiente. Cada profissional tem uma maneira de cobrar, há quem cobre por hora, há quem sobre por metragem quadrada, e alguns se baseiam em uma tabela fornecida pelo CAU (Conselho de Arquitetura e Urbanismo), mas a variação de preço costuma ser comum de acordo com a experiência e formação do profissional e até mesmos seus custos de trabalho, procure um profissional em quem você possa confiar e conversar abertamente sobre suas necessidades, desejos e orçamento.

Lembrando que na semana passada já falei de etapas que uma reforma pode ter e a quem atribuir cada uma delas, portanto o profissional a ser contratado varia de acordo com a reforma desejada.

floor-plan-1474454_1920

Mão de obra

Se existe uma coisa que varia de preço de pessoa para pessoa, de local para local é a mão de obra. Antes de fechar com alguém para fazer sua reforma, busque vários orçamentos e referências, para que você não se arrependa depois. Há quem faça aquele preço camarada, mas na hora do “vamo vê” você percebe que tudo aquilo que foi pago e feito uma vez precisará ser pago e feito novamente por outra pessoa de tão ruim o trabalho executado.

Outra importante dica é para tomar cuidado com quem fala que faz de tudo, pois pode ser que ele não faça nada muito bem, é como diz a teoria do pato “o pato anda, o pato voa e o pato nada, mas não faz nenhum deles bem”. Dependendo do que se tem a intenção de fazer é melhor investir em um especialista que fará um bom uso dos materiais construtivos e em menor tempo.

O custo com a mão de obra costuma ser o maior em comparação aos outros, mas muito mais do que olhar só para o preço é preciso olhar para qualidade, afinal a qualidade final e o bom aproveitamento dos materiais são completamente dependentes da qualidade do serviço a ser prestado pela mão de obra escolhida.

construction-1510561_1920

Materiais

No geral, materiais como pedra, areia, cimento, tijolo e tubulação vão ter alteração conforme o fornecedor e/ou a marca, mas a diferença não costuma ser tão impactante como é no caso dos materiais de acabamento, porém, a pesquisa de preços é algo fundamental se você está buscando economia.

O preço dos materiais de acabamento costuma mudar conforme a qualidade do produto, por isto suspeite sempre de produtos muito baratos, pode ser que aquele piso mais baratinho comece a lascar bem rapidinho. Outros fatores que costumam encarecer materiais de acabamento são a quantidade de tecnologia envolvida na produção, se o produto é lançamento ou se leva a assinatura de algum profissional renomado. Produtos fora de linha costumam ter um preço mais baixo, contudo vale lembrar de que por estarem fora de linha você dificilmente o encontrará futuramente no caso de necessitar fazer algum reparo.

A variação de preços de materiais de acabamento é muito grande, portanto pesquisar diferentes lojas é algo muito válido. Vale lembrar que os acabamentos são definidos na etapa de projeto juntamente com o profissional escolhido, de maneira que haja harmonia na composição do ambiente, portanto deixo aqui um alerta: pode ser que quando você vá a alguma loja o vendedor tente te induzir a mudar o projeto, sempre enaltecendo seu produto, porém, muitas vezes eles não estão buscando melhorar o seu projeto, e sim vender mais. Caso durante uma visita a loja você acredite que poderia mudar algum revestimento, consulte sempre seu arquiteto/designer antes de alterar o projeto.

office-594132_1920.jpg

Maior vilão

É comum as pessoas não terem a documentação de como foi construída a casa ou o apartamento, o que pode ser um enorme problema. Pense que durante a obra se descobre que há um pilar ou uma tubulação passando por um lugar onde não se esperava, então é necessário parar a obra e reavaliar o projeto para buscar uma nova solução. Além de atrasos, essas surpresas desagradáveis que vão surgindo ao decorrer da obra acabam encarecendo a reforma e causando enormes dores de cabeças.

O melhor a se fazer para evitar uma reforma cheia de caixinhas de surpresa é exigir do vendedor da casa a documentação completa da construção do seu imóvel, com plantas e fotos, de maneira a ter um projeto de reforma mais preciso.

measuring-tape-926716_1920

Orçamento

Mais importante do que saber o quanto vai custar é saber o quanto você pode e está disposto a investir para reformar seu imóvel. Há casos mais simples como troca de piso ou a reforma de um único ambiente, e também reformas mais complexas que envolvem uma completa remodelação.

Contratar bons profissionais e mão de obra qualificada é algo indispensável para que se tenha economia e um bom resultado.

office-620822_1920.jpg

De modo geral construir e reformar é algo que tem um preço mais elevado, mas eu tenho o pensamento de que um bom resultado, mesmo que tenha custado caro, acaba sendo barato, enquanto um mau resultado, mesmo que tudo tenha sido de graça, acaba sendo muito caro.

Se você está pensando em reformar continue acompanhando esta série de posts, lembrando que o próximo post estará no blog da Natasha.

Deixe seu comentário com sugestões para próximos posts.

Curta e compartilhe o post se você gostou!

Vai reformar? Valorize sua obra, contrate um arquiteto!